1932, Filmes Elegiveis

15/09/2009

Na terça publico os vencedores, e o top10 de filmes.

LONGAS ELEGÍVEIS

  • A Múmia (The Mummy, 1932, EUA) de Karl Freund
  • Ama-me Esta Noite (Love Me Tonight, 1932, EUA) de Rouben Mamoulian
  • Grande Hotel (Grand Hotel, 1932, EUA) de Edmund Goulding
  • Ladrão de Alcova (Trouble in Paradise, 1932, EUA) de Ernst Lubitsch
  • Monstros (Freaks, 1932, EUA) de Tod Browning
  • Mulher Proibida (Forbidden, 1932, EUA) de Frank Capra
  • O Signo da Cruz (The Sign of the Cross, 1932, EUA) de Cecil B. De Mille
  • Os Gênios da Pelota (Horse Feathers, 1932, EUA) de Norman Z. McLeod
  • Pega-Fogo (Poil de Carotte, 1932, FRA) de Julien Duvivier
  • Scarface – A Vergonha de Uma Nação (Scarface – The Shame of the Nation, 1932, EUA) de Howard Hawks
  • Tarzan, o Filho das Selvas (Tarzan the Ape Man, 1932, EUA) de W.S. Van Dyke
  • Two-Fisted Law (Two-Fisted Law, 1932, EUA) de D. Ross Lederman
  • Uma Hora Contigo (One Hour with you, 1932, EUA) de Ernst Lubitsch, George Cukor

CURTAS ELEGÍVEIS

  • Boo (1932, EUA) de Albert DeMond
  • Flores e Árvores (Flowers and Trees, 1932, EUA) de Burt Gillett

1932, Indicações por filme

15/09/2009

NÚMEROS DE INDICAÇÕES


13 Freaks (direção, atriz, atriz coadjuvante, roteiro adaptado, montagem, elenco, direção de arte, figurino, maquiagem, som, efeitos especiais, cena, cena)

13 Love Me Tonight (direção, atriz, atriz coadjuvante, roteiro adaptado, fotografia, montagem, trilha, direção de arte, figurino, som, cena, trilha musical, canção)

10 Trouble in Paradise (direção, ator, atriz, ator coadjuvante, roteiro adaptado, montagem, elenco, trilha, direção de arte, figurino)

10 Scarface (direção, ator, roteiro adaptado, fotografia, montagem, elenco, trilha, direção de arte, som, efeitos especiais)

9 The Mummy (ator, atriz coadjuvante, roteiro original, fotografia, direção de arte, maquagem, som, efeitos especiais, trilha musical)

8 One Hour With You (direção, atriz, ator coadjuvante, montagem, elenco, trilha, som, trilha musical)

8 Poil de Carotte (ator, ator coadjuvante, atriz coadjuvante, roteiro adaptado, fotografia, elenco, trilha, cena)

7 Grand Hotel (ator coadjuvante, fotografia, elenco, figurino, maquiagem, som, trilha musical)

5 Horse Feathers (ator, roteiro original, maquiagem, cena, trilha musical)

5 The Sign of the Cross (ator coadjuvante, atriz coadjuvante, figurino, maquiagem, efeitos especiais)

1 Flowers and Trees (Roteiro original)

1 Forbidden (atriz)

1 Tarzan, the Ape Man (efeitos especiais)


Indicados de 1932

15/09/2009

DIREÇÃO

__ Tod Browning, “Freaks”

__ Howard Hawks, “Scarface”

__ Ernst Lubitsch, “Trouble in Paradise”

__ Ernst Lubitch, Geoge Cukor, “One Hour With You”

__ Rouben Mamoulian, “Love Me Tonight”

ATOR

__ Boris Karloff, “The Mummy”

__ Robert Lynen, “Poil de carotte”

__ Herbert Marshall, “Trouble in Paradise”

__ Groucho Marx, “Horse Feathers”

__ Paul Muni, “Scarface”

ATRIZ

__ Olga Baclanova, “Freaks”

__ Kay Francis, “Trouble in Paradise”

__ Jeanette McDonald, “Love me Tonight”

__ Barbara Stanwyck, “Forbidden”

__ Genevieve Tobin, “One Hour With You”

ATOR COADJUVANTE

__ Lionel Barrymore, “Grand Hotel”

__ Harry Baur, “Poil de carotte”

__ Edward Everett Horton, “Trouble in Paradise”

__ Charles Laughton, “The Sign of the Cross”

__ Charles Ruggles, “One Hour With You”

ATRIZ COADJUVANTE

__ Claudette Colbert, “The Sign of the Cross”

__ Daisy Earles, “Freaks”

__ Catherine Fonteney, “Poil de carotte”

__ Zita Johann, “The Mummy”

__ Myrna Loy, “Love me Tonight”

ROTEIRO ORIGINAL

__ Bert Kalmar, Harry Ruby, S.J. Perelman, Will B. Johnstone “Horse Feathers”

__ John L. Balderston, “The Mummy”

__ “Flowers and Trees”

ROTEIRO ADAPTADO

__ Julien Duvivier, “Poil de carotte”, adaptado do livro de Jules Renard

__ Willis Goldbeck, Leon Gordon, Al Boasberg, Edgar Allan Woolf, baseado na história “Spurs” de Clarence Aaron ‘Tod’ Robbins

__ Samuel Hoffenstein, George Marion Jr., Waldemar Young, “Love me Tonight”, adaptado da peça “Tailor in the Château” de Paul Armont, Léopold Marchand

__ Ben Hecht, Seton I. Miller, John Lee Mahin, W.R. Burnett, “Scarface”, adaptado do livro de Armitage Trail

__ Grover Jones, “Trouble in Paradise” adaptado da peça “The Honest Finder” de Aladar Laszlo

FOTOGRAFIA

__ William H. Daniels, “Grand Hotel”

__ Lee Garmes, L. William O’Connell, “Scarface”

__ Victor Milner, “Trouble in Paradise”, “Love me Tonight”

__ Monniot, Armand Thirard, “Poil de carotte”

__ Charles J. Stumar, “The Mummy”

MONTAGEM

__ Edward Curtiss, “Scarface”

__ William Shea, “One Hour With You”,

__ William Shea, Rouben Mamoulian “Love me Tonight”

__ Basil Wrangell, “Freaks”

__ “Trouble in Paradise”

ELENCO

__ “Freaks”

__ “Grand Hotel”

__ “One Hour With You”

__ “Poil de carotte”

__ “Scarface”

__ “Trouble in Paradise”

TRILHA ORIGINAL

__ John Leipold, “Love me Tonight”

__ W. Franke Harling, “One Hour With You”

__ Alexander Tainsman, “Poil de carotte”

__ Gus Arnheim, Adolph Tandler, “Scarface”

__ “Trouble in Paradise”

DIREÇÃO DE ARTE

__ Hans Dreier, “Love me Tonight”

__ Hans Dreier, “Trouble in Paradise”

__ Cedric Gibbons, Merrill Pye, “Freaks”

__ Mitchell Leisen, “The Sign of the Cross”

__ Harry Olivier, “Scarface”

FIGURINO

__ Adrian, “Grand Hotel”

__ Travis Banton, “Trouble in Paradise”

__ Travis Banton, Edith Head, “Love me Tonight”

__ Cedric Gibbons, Merrill Pye, “Freaks”

__ Mitchell Leisen, “The Sign of the Cross”

MAQUIAGEM

__ “Freaks”

__ Cecil Holland, “Grand Hotel”

__ Jack P. Pierce, “The Mummy”

__ Robert J. Schiffer, “Horse Feathers”

__ “The Sign of the Cross”

CANÇÃO

__ “Whatever it is, I’m against it”, Harry Ruby, Bert Kalmar, por Groucho Marx “Horse Feathers”

__ “Isn’t it Romantic?”, Lorenz Hart, Richard Rogers, por Maurice Chevalier, Bert Roach, Rolfe Sedan, Jeanette MacDonald, “Love Me Tonight”

__ “Mimi”, Lorenz Hart, Richard Rogers por Maurice Chevalier “Love Me Tonight”

__ “Oh Mitzi!”, Oscar Rubin, Leo Rubin, por Maurice Chevalier “One Hour With You”

__ “Trouble in Paradise”, W. Franke Harling, Leo Robin, “Trouble in Paradise”

SOM

__ G. A. Burns, Douglas Shaerer, “Freaks”

__ Karl Zint, “Grand Hotel”

__ M.M. Paggi “Love me Tonight”,

__ “The Mummy”

__ M.M. Paggi, “One Hour With You”

__ Wlliam Snyder, “Scarface”

EFEITOS ESPECIAIS

__ “Freaks”

__ John P. Fulton, “The Mummy”

__ “Scarface”

__ “The Sign of the Cross”

__ Warren Newcomb, “Tarzan, the Ape Man”

CENA

__ “Whatever it is, i’m against it”, “Horse Feathers”

__ “Isn’t It Romantic?”, “Love me Tonight”

__ Tentativa de suicídio, “Poil de carotte”

__ One of us, “Freaks”

__ Fim, “Freaks”

TRILHA COMPLETA

__ “Grand Hotel”

__ “Horse Feathers”

__ “Love me Tonight”

__ “The Mummy”

__ “One Hour With You”


ANTICRISTO

02/09/2009

charlotte-gainsbourg-antichrist-still1

Anticristo não é tudo isso que falaram. O novo filme de Lars Von Trier é sim, repleto de imagens fortes e chocantes, mas após o primeiro susto é difícil se levar pelos maltratos do cineasta. Ou seja, não choca, nem é forte. Por outro lado, Anticristo é sim tudo isso que dizem. É um dos filmes mais provocantes da história. Ou melhor, tenta ser.
Durante sua carreira, o diretor dinamarquês tentava apontar o dedo pras grandes tragédias sociais, apontando que o homem agia mal a partir de causas sociais maléficas, mesmo que impregnadas nos homens. Seja em Dançando no Escuro, Dogville ou Europa tínhamos personagens que eram vítimas de situações causadas ou pela cultura ou por ações do coletivo, e quando a história não terminava em tragédia completa (a morte ou a segunda guerra por exemplo), causava um trauma profundo.

Aqui, temos a inversão de sintomas. Primeiro vem o trauma profundo (morte do filho do casal interpretado por William Dafoe e Charlotte Gainsbourg), seguimos para a tragédia pessoal, e finalmente a tragédia social. Isso é consequência de uma mudança de visão de Lars Von Trier no que causa o mal. Se antes, era por causas sociais, agora o mal vêm de dentro e todas estas grandes tragédias e conflitos se dá justamente por tantos homens (e mulheres, como acusa o diretor) terem uma alma tão vil.

E nisso reside o grande pecado do filme. O diretor quer nos acreditar que o homem, em seu estado de natureza mais primitivo poderia causar tudo que acontece na segunda metade do filme. É muito falso, hipócrita, maléfico e perturbador, falso, para não dizer que Lars Von Trier nos choca apenas pelo prazer mórbido de chocar, auxiliado pela visão complicadíssima, para não dizer totalmente ridícula de tratar de uma forma completamente machista o femicídio em voga nos séculos anteriores.

Isso poderia até ser contestado se o dinamarquês tratasse pelo viés de que tudo não passa de uma loucura, ou uma grande metáfora. O que concerne a primeira parte, em nenhum momento Von Trier dá a entender que isso é um ato isolado. Inclusive, no início, o personagem “científico” do marido diz sempre que o luto da esposa não é atípico, é um comportamento normal. E a cena final deixa claro que como sempre Von Trier expande seu recorte para a sociedade como um todo.

No campo da metáfora, até se pode relacionar o medo da protagonista ao medo divino, totalmente irracional, e quando este medo é deixado de lado, podemos fazer tudo que nos dá vontade, até as coisas mais abomináveis. O contexto sexual intensifica mais esta interpretação. Mas de qualquer maneira, não absolve o filme, nem o diretor. É um filme que pode impressionar, e impactar em pequeno grau, mas não consegue apresentar nenhuma tese sobre o comportamento aceitável, quando seu tiro não sai pela culatra, completamente.

Charlotte Gainsbourg, porém, está magnífica e é uma pena que a personagem que ela compõe não ganha um correspondente à altura pela direção do filme.


Anticristo
Anticrist, 2009, DIN/ALE/FRA/SUE/ITA/POL
Dirigido por Lars Von Trier. Com William Dafoe, Charlotte Gainsbourg.